Início » 300 voluntários dos testes da Coronavac foram barrados na dose de reforço por falta de certificado

300 voluntários dos testes da Coronavac foram barrados na dose de reforço por falta de certificado

Cerca de 300 pessoas da área de Saúde que fizeram parte do grupo de voluntários para o teste da Coronavac no HC da Unicamp correm o risco de não conseguirem ser imunizados com a dose de reforço da vacina contra a covid-19. Isso porque o documento que comprova a vacinação não foi emitido pelos órgãos oficiais do Estado e do governo federal. Com isso, as prefeituras, inclusive a de Campinas, já avisaram que não vai vaciná-los. A aplicação da terceira dose para este grupo começou nesta semana.

As vacinas foram aplicadas em setembro do ano passado. E o grupo que recebeu placebo foi imunizado entre os meses de janeiro e fevereiro de 2021. No total, foram 600 voluntários, mas os que receberam o placebo não estão no grupo dos que estão sem comprovação da imunização.

De acordo com um dos voluntários, ele recebeu as duas doses em setembro do ano passado. Em janeiro deste ano, quando foi aprovado o uso emergencial, esse médico conseguiu um documento oficial da pesquisa em que dizia que ele havia recebido as duas doses nos dias 8 e 22 de setembro de 2020. Só que esse documento ainda não foi registrado no sistema do Ministério da Saúde. “Assim, nós voluntários, ainda não temos como comprovar a vacinação por meio dos aplicativos de “passaporte da vacina” (ConecteSUS federal, Poupatempo Digital estadual). E agora não podemos tomar a terceira dose”, disse esse médico.

Outro lado

Em nota, a Prefeietura de Campinas informou que como os nomes desses voluntários não estão no VaciVida, sistema de vacinação do Estado, a Saúde não pode aplicar a dose adicional da vacina contra a covid-19. “A Pasta aguarda que a Unicamp regularize essa questão com o Estado”, diz a nota.

Em um comunicado enviado aos participantes , o médico Francisco Hideo Aoki, responsável pela pesquisa no HC da Unicamp, informou que os procedimentos estão sendo analisados, inclusive, pelo jurídico do Butatan. “Resumidamente, após liberação pela Anvisa, autorizando colocação dos lotes utilizados para vacinação dos voluntários do estudo Profiscov, nos sistemas estadual e federal, autorização da Conep e liberação pelas CEPs locais, os centros enviarão listas com todas as informações dos voluntários que tomaram vacina (ressalte-se que todos os que receberam placebo já estão colocados no sistema) e a partir daí, após documentação oficial enviado aos centros, estes estarão aptos a enviar para e-mail específico do CVE-SES-SP, lista completa de todos os voluntários com todos os dados solicitados”, diz o documento assinado por Aoki.

A assessoria de imprensa do HC não deu retorno sobre os questionamentos. Assim que o fizer, a matéria será autualizada.

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

Adicionar comentário

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.