Blog da Rose Economia

Auditores radicalizam e Ciesp teme atraso na liberação de cargas

A regional Campinas do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) vai recorrer à Justiça para que as indústrias da RMC (Região Metropolitana de Campinas) não tenham cargas barradas na operação Canal Vermelho – nova ação dos auditores fiscais que deve começar até o final desta semana no aeroporto de Viracopos e tem como objetivo verificar todas as mercadorias que chegam nas aduanas, aumentando o processo de liberação das cargas de 10 para 30 dias. Desde o dia 14 de julho, os auditores realizam operações nos portos e aeroportos brasileiros para cobrar reajuste salarial de 21,3% e melhores condições de trabalho.

O terminal de cargas de Viracopos movimenta 17,3 mil toneladas de mercadorias mensalmente. Desse total, segundo a assessoria de imprensa do aeroporto, o canal vermelho corresponde a aproximadamente 4% do volume. Segundo o diretor do Ciesp Campinas, José Nunes Filho, 90% das 500 indústrias da RMC serão prejudicadas com o início da operação Canal Vermelho.

“Todos os segmentos que dependem de importação de componentes eletrônicos, mecânicos e farmacêuticos seriam impactados com essa operação. Dependemos disso [da liberação rápida das cargas] para tocar a nossa empresa e também atrasaríamos as exportações porque não teríamos matéria-prima para produzir. Temos uma liminar para conseguirmos liberação das cargas em caso de greve dos auditores. Agora vamos atrás de medidas jurídicas cabíveis para defender o nosso setor diante da operação Canal Vermelho”, disse o representante do Ciesp.

No mês de agosto, 30 dias após o início dos protestos dos auditores em Campinas, a indústria da RMC teve prejuízo de R$ 7 milhões com as paralisações.
“A partir do momento que você segura a carga, o capital de giro fica parado no depósito do aeroporto. Você paga por esse armazenamento e deixa de vender. É um prejuízo imenso. É quase mortal esse negócio”, diz Nunes.

O Sindifisco (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil) disse que a operação Canal Vermelho ocorre desde domingo em Guarulhos e chegará em Campinas até sexta-feira.
A Receita Federal disse que não vai se pronunciar a respeito do assunto.
Viracopos tem 120 auditores fiscais, com salários que variam de R$ 15 mil a R$ 22 mil.\


Otimista, indústria prevê retomada no próximo ano

Mesmo enfrentando dois anos seguidos de crise, a indústria da RMC acredita que vai apresentar sinais de retomada a partir do próximo ano. De acordo com sondagem realizada pelo Ciesp, 37,5% dos 500 associados preveem impulso no primeiro semestre de 2017 e 41,7% acreditam que vão aquecer o movimento das fábricas no segundo semestre.
Segundo os empresários, o crescimento será impulsionado por medidas econômicas tomadas pelo governo e aumento da demanda.
Entre os meses de janeiro a outubro deste ano, as indústrias da RMC demitiram 2,6 mil funcionários. “Estamos otimista com o próximo ano. Esse otimismo é porque já chegamos no fundo do poço. Não temos mais onde cortar gastos. Tudo já foi feito. Agora é torcer para o movimento mudar”, explica José Nunes Filho.

Texto: Hidaiana Rosa

Sobre o autor

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.