Administração municipal JUSTIÇA OPERAÇÃO OURO VERDE

Auditoria aponta rombo de R$ 20 mi com a Vitale

Rose Guglielminetti
Escrito por Rose Guglielminetti

Por Tote Nunes

Auditoria realizada pela Prefeitura de Campinas na prestação de contas da Organização Social Vitale Saúde – que fazia a gestão do Hospital Ouro Verde – identificou “inconsistências” da ordem de R$ 20 milhões.

Segundo o secretário de Assuntos Jurídicos, Silvio Bernardin, esse valor equivale a desembolsos realizados pela prefeitura sem que a empresa conseguisse comprovar a realização dos serviços.

A Vitale Saúde administrou o Hospital Ouro Verde por cerca de 18 meses e neste período recebeu repasses que somaram aproximadamente R$ 200 milhões.

Em dezembro do ano passado, o hospital sofreu intervenção em consequência de denúncias de desvios de recursos feitas pelo Ministério Público.

Segundo a Promotoria, os desvios foram de pelo menos R$ 4,5 milhões. Seis dirigentes da Vitale e dois servidores públicos da Secretaria de Saúde foram presos.

Três diretores receberam o benefício da prisão domiciliar e ao menos um deles avalia a possibilidade de fazer delação premiada, que poderia esclarecer o funcionamento do esquema de corrupção.

“Por enquanto a gente ainda não pode dizer que houve fraude, porque eles (a empresa) ainda serão chamados para explicar, mas o fato é que se constatou esse nível de inconsistências na prestação das contas”, afirmou o secretário.

Bernardin disse que os dados coletados na auditoria vão integrar o processo de rompimento do contrato que hoje, tecnicamente, está apenas suspenso.

Além disso, os dados da auditoria deverão subsidiar eventuais processos de ressarcimento. O Metro Jornal entrou em contato com a Vitale, ontem, mas até o fechamento desta edição, a empresa não havia respondido ao pedido de entrevista.

Outras auditorias

Bernardin disse que o pente-fino na prestação de contas não encerra a auditoria a ser feita no contrato com a Vitale. Diz que o processo vai ainda, avaliar procedimentos e eventualmente criar travas legais para evitar a repetição de situações  como a ocorrida no ano passado.

O secretário disse que auditorias serão feitas com todos os outros convênios ligados à saúde. Nesta relação, segundo ele, estão os contratos com o Hospital da PUC, Maternidade de Campinas, Santa Casa, Cândido Ferreira e outros. 

Sobre o autor

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.