Início » Campinas adia pregão do lixo

Campinas adia pregão do lixo

A Prefeitura de Campinas adiou o pregão do lixo para o dia 14 de junho. A medida foi tomada após uma empresa de Goiânia questionar 19 pontos do edital de contratação de empresa ou consórcio de empresas para a prestação de serviços de gestão de resíduos sólidos urbanos que compreende coleta, varrição e operação de transferência e transbordo dos resíduos sólidos para Paulínia. O contrato é de R$ 328 milhões por 30 meses.

Segundo o secretário de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, das questões levantadas, 16 delas foram descartadas pela Procuradoria municipal. “Eram questionamentos que não tinham sentido algum. Três delas, decidimos responder para não ficar nenhuma dúvida. Com isso, temos de rever os prazos exigidos para uma licitação”, explicou Paulella.

De acordo com ele, os questionamentos são de cunho técnico como, por exemplo, se a coleta mecanizada tem de ser feita na quantidade estabelecida. “Como gerou dúvidas, decidimos colocar que é a quantidade estabelecida no edital”, disse o secretário.

Essa será a terceira versão do edital. A primeira foi publicada no dia 13 de outubro do ano passado, quando o edital recebeu alguns questionamentos que foram analisados pelo Pleno do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, e sua decisão publicada em 5 de março de 2022. 

Com isso, um novo edital foi publicano no dia de maio de 2022, com as mudanças apontadas pelo TCE-SP. 

PPP do lixo

O secretário explicou que a meta é conseguir emplacar a PPP (Parceria Público Privada) do lixo, avaliada em R$ 8 bilhões. O edital também foi anulado pelo TCE no ano passado. O valor deverá ser revisto. “Precisamos avançar no tratamento do lixo. Essa é a meta”, disse.

Entre as propostas do novo modelo estão o aumento da coleta seletiva, da reciclagem e o reaproveitamento de tudo o que for possível, com encaminhamento aos aterros apenas dos rejeitos. Esses rejeitos serão processados em usinas para a produção de combustível derivado de resíduos (CDR), utilizado em fornos industriais. A estimativa é de que, neste ano, Campinas produzirá 317,2 mil toneladas de resíduos sólidos domiciliares. 

Entre as metas para as próximas três décadas estão a universalização de coleta em locais de difícil acesso, 100% de coleta, mecanização nos locais possíveis de implantação e 100% de coleta regular na área rural.  Também há previsão de coletar 10% do total de resíduos sólidos domiciliares de materiais recicláveis, ampliar a área de varrição manual das vias públicas para 15 mil quilômetros mensais, instalar 20 sistemas subterrâneos de contentores com no mínimo quatro compartimentos cada.  Além de, em 30 anos, ampliar para 100% a compostagem dos resíduos verdes coletados, fazer a manutenção e monitoramento dos antigos aterros e reabilitar ambientalmente as antigas áreas de disposição final.

Será declarada vencedora a licitante que apresentar a melhor proposta em razão da combinação do menor valor da contraprestação a ser paga pela Administração Municipal com a melhor técnica.  

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também âncora do programa "Bastidores do Poder", da Rádio Bandeirantes de Campinas, que vai ao ar todos os dias das 10h às 11h30. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

1 comentário

  • Vai acabar o mandato do prefeitinho Dário e tanto a licitação do lixo como a do transporte, o funcionamento do BRT, o hospital infantil “mario gattinho” e muito menos a reforma do Centro de Convivência serão finalizados. Esse governo é um fracasso total….

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.