Aqui política se discute.
Início » Campinas fecha 2018 com receita 12% maior

2 min readCampinas fecha 2018 com receita 12% maior

Com a atualização da Planta Genérica de Valores dos imóveis, novos índices de IPTU e de outros impostos, a arrecadação da Prefeitura de Campinas cresceu 12,12% em 2018, em comparação com o ano anterior, segundo levantamento divulgado pela Secretaria de Finanças. 

A Administração direta registrou receita de R$ 4,4 bilhões – o equivalente a R$ 476 milhões a mais que em 2017. 

Só que, ainda assim,  o Executivo diz ter havido frustração de receita da ordem de R$ 750 milhões, já que a expectativa era de receita de cerca de R$ 5,1 bilhões.

No caso das receitas próprias, a Prefeitura atingiu 97% do valor orçado. 

Dos R$ 2,387 bilhões previstos no orçamento, foram arrecadados R$ 2,320 bilhões. O IPTU rendeu R$ 694,363 milhões; o ISS gerou receita de RS 941 milhões, enquanto que o ITBI somou  R$ 162 milhões.

 No caso do IPTU, o valor representa 95% do orçado (R$ 733 milhões).   ISS e ITBI arrecadaram  acima do previsto. O primeiro chegou a 110% e atingiu R$ 856 milhões. O ITBI, por sua vez, atingiu 113% do orçado e gerou receita de R$ 144 milhões.

Transferências

Das transferências, a previsão era de R$ 2,1 bilhões e fechou em R$ 1,8 bilhão. Destas verbas, a que apresentou maior queda foi a de convênios. Dos R$ 227 milhões orçados, entraram R$ 80 milhões. O ICMS também ficou abaixo do previsto: dos R$ 815 milhões esperados, os repasses totalizaram R$ 735 milhões.

Frustração 

De acordo com os técnicos da Secretaria de Finanças, a frustração de receitas da ordem de R$ 750 milhões se deu principalmente em razão da baixa retomada da economia.

“O ano de 2018 foi menos ruim que 2017, porém o crescimento da economia ainda não foi suficiente para melhorar significativamente as receitas dos municípios”, disse o secretário Tarcísio Cintra (foto). 

“Com a nova política econômica, esperamos que a economia volte a crescer, gerando investimentos, emprego e renda e, com isso, mais impostos como ICMS e ISS, que dependem da movimentação econômica do país”, finalizou ele.

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

3 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

Marcos Andrade

Marcos Andrade

Marcos Andrade é formado em jornalismo pela Unesp e pós graduado em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais pelo Senac. Com passagens pelas rádios Band News FM e Bandeirantes de Campinas, é produtor do programa Bastidores do Poder da Band Campinas desde 2016.

Zezé de Lima

Zezé de Lima

Jornalista que começou no Diário do Povo, quando a sede era na César Bierrembach, e com histórias no Jornal de Domingo e Correio Popular. Na última década, já fiz de tudo na Band Campinas. Hoje posso fazer só o que gosto.

Mais Categorias