Câmara de Vereadores

Corregedor quer finalizar processo que pode cassar Santini até fim de junho

Rose Guglielminetti
Escrito por Rose Guglielminetti

O corregedor da Câmara de Campinas, o vereador Antonio Flores (PSB), disse nesta quarta-feira (12/06), que quer finalizar até o fim deste mês o processo de investigação contra o vereador Tenente Santini (PSD) por quebra de decoro parlamentar, que pode resultar na cassação do seu mandato.

Vinte parlamentares assinaram o pedido encabeçado pelo vereador Jorge Schneider (PTB) que quer que Santini prove as denuncias feitas durante uma sessão da Câmara em que ele mirou os parlamentares e membros da Prefeitura de Campinas.

Santini, no começo deste mês, disse na tribuna que alguns vereadores pegam parte dos salários dos seus assessores, que há parlamentares envolvidos com o roubo de carga e que indicam comissionados ligados ao PCC para trabalhar na prefeitura, entre outras denúncias. As acusações geraram indignação entre os parlamentares.

Flôres disse que vai notificar, na próxima segunda-feira, Tenente Santini para comprovar as 14 denúncias elencadas na tribuna. “Vou dar uma semana para que ele apresente provas do que denunciou na tribuna. Quero finalizar até o fim de junho. Se não conseguirmos cumprir esse prazo, fica para agosto porque temos recesso em julho. Mas quero finalizar tudo até o fim deste mês”, garantiu ele – que vai nomear uma comissão que terá ainda o vice-corregedor, Ailton da Farmácia (PSD), e um membro da Comissão de Constituição e Legalidade. Flôres disse que gostaria que o presidente da comissão, Luiz Cirilo PSDB), aceitasse o convite.

Perseguição política

Tanto Flôres quanto Schneider negaram que haja uma perseguição política contra Santini – que tem tido uma postura de oposição ao governo Jonas Donizette (PSB). “Não há um sentimento de cassação às bruxas. Por parte deste corregedor haverá o máximo de imparcialidade”, disse Flôres.

Schneider, por sua vez, disse que a Câmara nunca investigou Santini por causa das críticas que ele fez ou faz ao Executivo. “Ninguém jamais pensou numa investigação por causa das críticas que ele faz ao governo. O que não podemos aceitar são as denúncias em relação aos vereadores. Não sou ladrão. Quando ele nos agride, precisamos responder porque, caso contrário, estaríamos aceitando as denúncias. Ele tem de provar”, disse o petebista.

Santini

Santini diz que está tranquilo e chegou a provocar Schneider na sessão da última segunda-feira (10/06). “O senhor nunca apoia nenhuma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) e poderia assinar os pedidos de CPI que iria apresentar para investigar a máfia da corrupção de Campinas”, disse ele.

Foto: Câmara de Vereadores de Campinas

Sobre o autor

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

Atenção

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da autora do blog. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. A autora poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Comentários

  • Enquanto isso se perguntem se todas as escolas e centros de saúde possuem AVCB ou mesmo licenciamento sanitário. A maioria das escolas e Centros de Saúde se quer poderiam estar abertos. Estão, na maioria, ilegais. Valeria uma boa investigação e responsabilização

  • perseguição política existe sim, é só ir a uma sessão na câmara para comprovar e enquanto isso nosso pior prefeito vai desafiando a Lei e ficando e ainda contratando mais assessores, isso esse vermes desses vereadores não veem. Contra o Jonas são cegos, surdos e mudos…

  • Democracia é convivência de opostos.

    Tenente Santini, policial experiente, por certo, tem provas para comprovar suas afirmativas.

    Esses 20 vereadores têm apadrinhados que indicaram como comissionados no Executivo, que reluta em cumprir determinação do MP para serem exonerados? “O povo quer saber.”

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.