BRASIL Câmara de Vereadores

Crise da Floresta Amazônica vira debate na Câmara

Rose Guglielminetti
Escrito por Rose Guglielminetti

Alguns vereadores de Campinas utilizaram a tribuna ontem para comentar a crise internacional que colocou a Floresta Amazônica no centro do debate desde a última quinta-feira devido às queimadas e desmatamento da floresta.

O vereador Jorge Schneider (PTB), por exemplo, saiu em defesa do presidente Jair Bolsonaro e criticou o presidente da França, Emmanuel Macron. “Infelizmente o nosso presidente fala um pouco a mais do que deve, mas esse presidente (Macron) Ele não conseguiu nem impedir um incêndio na Catedral que fica perto de um rio e quer apagar o fogo da nossa Amazônia. A Amazônia é brasileira. Querem colocar as ONGS dentro do nosso ouro e jazidas. Eu acho que ele vai aprender a ser presidente”, disse ele.

Já Mariana Conti (PSOL) classificou a fala de Bolsonaro de “asquerosa”. “É o que sintetiza o sentimento quando o presidente debocha e desrespeita a primeira-dama francesa. Com isso, desrespeita todas as mulheres ao tratar como se o valor da mulher poderia ser medido pela beleza”, disse ela, que acrescentou que “tem uma visão ética deturpada e não tem uma política anti-ambiental.”

Já Gustavo Petta (PCdoB) disse que participou de uma manifestação no último sábado em favor da Floresta Amazônica. Segundo ele, Bolsonaro negou os dados oficiais sobre o desmatamento e focos de incêndios. “Depois ele negou os fatos. Depois quis responsabilizar as ONGS. E, por último, diante de um constrangimento internacional do Brasil, ele resolveu agir de alguma forma. O tal do Dia do Fogo (incêndio criminoso no Pará) o governo federal foi avisado. E a política destrutiva de fiscalização está sendo enfraquecida”, disse o parlamentar.

Pedro Tourinho (PT) criticou a postura do presidente como a demissão do presidente do INPE, Ricardo Galvão, e a fala que culpou ONGS por queimadas na Floresta. “O discurso de Bolsonaro legitima e empodera quem quer desmatar. O tal do Dia do Fogo, um combinado no whatsApp é um exame claro disso, porque ele desmontou a fiscalização do Ibama”, disse elo petista.

Foto: Agência Brasil

Sobre o autor

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

Atenção

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da autora do blog. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. A autora poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

1 Comentário

  • O comentário do vereador Schneider beira o atestado de insanidade mental, ora, ele compara crime ambiental com um acidente urbano? É isso mesmo?

    Se vamos generalizar e colocar tudo no mesmo “balaio”, vamos pedir para o INPE analisar via satélite as boates, afinal a “KISS” ardeu em chamas também, não?

    As tragédias estão ai nos noticiários, mas a verdadeira tragédia é como nossas instituições e a própria democracia agonizam e morre sendo representadas por pessoas tão…. ignóbeis.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.