Início » Eleição indireta: partidos sofrem com a falta de nomes

Eleição indireta: partidos sofrem com a falta de nomes

A cinco dias de terminar o prazo para o registro de candidaturas à eleição indireta para prefeito ao mandato-tampão, os partidos sofrem com a falta de nomes fortes que façam frente ao principal candidato, o prefeito interino Pedro Serafim (PDT).

A indefinição de nomes ronda a coligação mais robusta – PSB, PMDB, PPS e PCdoB. Os representantes destas siglas disseram que o PMDB é o partido que indicará o cabeça de chapa. A expectativa era de que a sigla apresentasse ontem um nome.

Porém, pediu mais prazo. O PMDB em Campinas vive um crise. De um lado, o grupo de Dário Saadi e Arnaldo Salvetti articula com os partidos de oposição. De outro, um grupo dissidente, liderado por Nilvado Dóro, quer aliança com Serafim. Além disso, os partidos tentam convencer o PT a rever a decisão que proíbe  os vereadores da sigla de votarem em qualquer candidato.

Uma terceira candidatura seria encabeçada pelo PTC, com  Vânia Cristina Bôscolo para prefeita e o fisioterapeuta Nivaldo Baldo para vice. A única certeza é a de que os registros das candidaturas serão feitos apenas na segunda-feira.

A data

10 de abril é o dia da eleição indireta, quando os vereadores escolherão o prefeito e o vice-prefeito que irão administrar a cidade até o dia 31 de dezembro.

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mais Categorias