Administração municipal BRASIL RMC

Justiça determina saída de ocupantes de Fazenda em Valinhos

Rose Guglielminetti
Escrito por Rose Guglielminetti

A juíza de Valinhos, Bianca Vasconcelos, determinou que, num prazo de 15 dias, as famílias que moram na ocupação Marielle Vive, em Valinhos, deixem o local. Cerca de mil famílias – ou quatro mil pessoas – moram na fazenda que fica na Estrada dos Jequitibás desde o dia 14 de abril de 2018.  

Se houver descumprimento da ordem, a magistrada informou que uma reintegração deverá ser executada.

Caso os ocupantes não cumpram a determinação, a juíza Bianca Vasconcelos Coatti, da 1ª Vara Judicial da Comarca de Valinhos, informou que uma reintegração de posse deverá ser realizada. 

Em nota, o MST afirma que a decisão desconsidera a realização de reunião prévia de conciliação. ” A decisão da juíza, além de cruel, é recheada de fragilidades jurídicas, pois se baseia em um contrato de arrendamento para criação de gado, firmado em 2009 que possuía prazo de 24 meses (já expirado há cerca de 7 anos). Este contrato é precário, inconsistente e não foi apresentada nenhuma outra prova documental ou material que ateste o exercício da posse por parte da Empresa”, diz a nota do MST.

Morte

No dia 18 de julho, Leo Luis Ribeiro atropelou e matou o idoso Luis Ferreira da Costa, de 73 anos. O crime ocorreu durante uma manifestação do grupo na estrada de Valinhos.

Sobre o autor

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

Atenção

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da autora do blog. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. A autora poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

1 Comentário

  • Já vimos esse filme antes várias e várias vezes, sempre o mesmo roteiro…

    Os invasores vão descumprir a ordem judicial e não vão desinvadir a área. Farão barricadas na entrada da invasão pra bloquear a entrada da PM e colocar mulheres e crianças à frente pra constranger a PM.

    Diante da negativa de desocupação, a PM vai ter de agir pra que a lei seja cumprida e usar os métodos necessários para isso, ou seja, vai partir pra cima jogando bombas de efeito moral, gás lacrimogênio e balas de borracha.

    Aí os invasores vão revidar jogando pedras, paus. Vai ter corre corre surgirão os primeiros feridos, mas a imprensa só vai mostrar os feridos do MST, nenhum da PM, afinal a PM tem mostrada como criminosa.

    No final a área será desinvadida, a imprensa ficará satisfeita porque terá uma pauta pra ser explorada por dias, o MST idem porque vai manter seu monopólio das virtudes e ter sua narrativa do evento dizendo que a PM é que começou a violência chamando a PM de fascista, misógina e truculenta. O PT, PSOL, PCdoB, PDT, UNE, UBES, DCE da Unicamp, Adunicamp e sindicatos vão apoiar o MST e atacar a PM do Dória, afinal como a PM ousou cumprir uma ordem judicial contra o MST???

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.