Caso Sanasa

Justiça extingue processos do Caso Sanasa e beneficia condenados

Um ano e três meses depois da extinção da pena do empresário José Carlos Cepera por decisão da Segunda Turma do STF (Supremo TribunalFederal), o TJ (Tribunal de Justiça de São Paulo) decidiu estender o benefício aos outros envolvidos no chamado “Caso Sanasa” – o esquema de fraude em licitações públicas, que resultou na cassação do então prefeito de Campinas, Hélio de Oliveira Santos(PDT).

O relator do processo, desembargador Poças Leitão, determinou ontem (13/12) que, a exemplo do que havia sido decidido em relação a Cepera, deverão ser extintos também, os processos contra os outros envolvidos no processo, casos dos lobistas Maurício Manduca e Emerson Oliveira, além dos operadores Natanael Cruvinel de Souza, Lúcio de Souza Dutra, Wilson Vitorino de Souza e José Luís Cortizas Pena.

Todos os envolvidos no Caso Sanasa haviam sido condenados a penas de prisão por formação de quadrilha – alguns com punição de até 15 anosde reclusão. “Só que ao longo do processo, as penas foram reduzidas para 1 ano e 9 meses, e que agora acabaram prescritas”, disse ontem, o advogado Flávio Marcondes, que fez a defesa dos réus. “Na verdade, houve uma volúpia de condenar, um exagero da pena, que acabou resultando na prescrição”, disse o advogado.

O caso

Em setembro de 2010, uma operação realizada por promotores de Campinas e de São Paulo,em conjunto com a Polícia Federal e a Corregedoria da Polícia Civil, prendeu oito pessoas acusadas de envolvimento em um esquema de fraudes em licitações públicas, especialmente nos ramos de segurança, vigilância e limpeza.

De acordo com as investigações daquele período, empresas ligadas aCepera teriam vencido licitações municipais e estaduais de forma fraudulenta. A estimativa à época é que as fraudes tenham atingido R$ 615 milhões.

Sobre o autor

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

Atenção

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da autora do blog. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. A autora poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

1 Comentário

  • Por que os promotores do GAECO Daniel Zulian, Amauri Silveira Filho et al não foram entrevistados para comentar essa notícia, estou ansioso para ler o acórdão da 2a turma do STF já que o julgamento das turmas não são transmitidos pela TV. Isso também é um recado para toda a população para ficar atenta com aqueles que estão usando o caso Ouro Verde pra fazer proselitismo político e autopromoverem, digo isso, pra não variar em relação ao pessoal do MP e também os vereadores da oposição do baixo clero, estes exclusivamente visam se cacifarem as eleições de 2020, se alguém imaginou que algum dia eles pensaram em fazer uma investigação séria esqueçam, melhor acreditar em Papai Noel, falo isso em relação aos vereadores primeiro os “arroz de festa” Carlão do PT, Pedro “riquinho” e Mariana Conti e depois os neomoralistas Marcelo Silva, Ten. Santini e Nelson Hossri.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.