Início » Lixo de Campinas vai para aterro privado de São Paulo ao custo de R$ 45,5 milhões

2 min readLixo de Campinas vai para aterro privado de São Paulo ao custo de R$ 45,5 milhões

A Prefeitura de Campinas contratou o consórcio Proactiva-CDR Pedreira para o trasporte dos resíduos sólidos de Campinas por R$ 45,4 milhões por um ano. O lixo agora vai para a Capital e Iperó. A contratação anterior era com a Estre e o produto era levado para Paulínia. Campinas produz cerca de 900 toneladas de lixo por dia.

O contrato ficou R$ 900 mil mais caro do que o anterior. O custo adicional se deve à distância e também aos pedágios. Hoje o deslocamento é de cerca de 20 quilômetros e agora será de 100.

Segundo o secretário de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, essa empresa é a segunda colocada. A primeira a ganhar a licitação foi a Estre – o valor ficaria R$ 900 mil a menos. “Mas acabou sendo desabilitada por falta de documentação. Temos de cumprir a legislação”, disse ele.

A Estre contesta. Diz em nota oficial que foi indevidamente desclassificada do processo licitatório, mesmo tendo apresentado o menor preço. Afirma que apresentou toda a documentação exigida no edital e na lei. Ressaltou ainda que vai à Justiça para garantir valer os seus direitos para ser contratada, já que ganhou em primeiro lugar.

Paulella também afirmou que no edital a empresa vendedora apresentou duas licenças ambientais para depósito do resíduo sólido: na Capital e Iperó (região de Sorocaba). “Achamos que a empresa vai levar o resíduo para estes dois lugares”, disse ele.

Hoje a prefeitura gasta cerca de R$ 113 milhões ao ano com a coleta, separação e  transporte dos resíduos sólidos. A prefeitura paga de acordo com quantidade do material recolhido.

Pandemia

Com a crise da pandemia, a produção de lixo de Campinas vai fechar o mês de maio com uma queda de 20%. Eram recolhidas cerca de 1 mil toneladas por dia e agora são 900. Houve redução também na produção dos chamados resíduos públicos que caíram para 400 toneladas dia, ante 500.

O secretário de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, explicou que a redução é resultado da desaceleração da economia e do consumo. “As famílias deixam de comprar. A produção de lixo é um indicador econômico importante sobre o consumo das famílias” , disse ele, quando comentou a queda da produção em entrevista anterior.

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mais Categorias