Aqui política se discute.
Início » Oposição critica adesão de Jonas a escolas militares

Oposição critica adesão de Jonas a escolas militares

Os vereadores de oposição ligados aos partidos de esquerda como PT, Psol e PCdoB – criticaram o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), que declarou que vai aderir ao Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares do Ministério da Educação. O bom nível de ensino é um fator para a sua decisão. O governo federal pretende implantar 54 escolas militares no Brasil. O prazo para os municípios interessados em se inscrever no programa vence nesta sexta-feira (11/10).

O presidente da Comissão de Educação no Legislativo campineiro, Gustavo Petta (PCdoB), disse que vai mobilizar a sociedade contra essa proposta. Ele marcou uma reunião no próximo dia 22 para debater o assunto.

Segundo o parlamentar, a decisão de Jonas é autoritária. “O prefeito não consultou ninguém e não é dono da cidade”, disse ele, referindo-se a não consulta ao Conselho Municipal de Educação, Conferência de Educação e Câmara de Vereadores, entre outras instituições ligadas à educação.

O comunista disse que os institutos federais são referência de índices positivos de qualidade e o modelo deveria ser reproduzido. “Bastava ampliar e não contingenciar os recursos. Os institutos estão com a língua de fora. As escolas militares têm bons índices porque o investimento é três vezes maior do que o das escolas públicas. É uma questão de investimento”, alertou Petta.

Pedro Tourinho (PT)também criticou duramente a intenção do prefeito. Segundo o petista, a instalação das escolas militares é “ideológica e eleitoreira” por parte do governo federal. O parlamentar diz que o enquanto o governo do presidente Jair Bolsonaro quer implantar 54 escolas, ele corta investimento na educação. “Vai cortar R$ 300 milhões só na educação básica. Essa proposta é parte da cortina ideológica e farsesca do governo Bolsonaro”, criticou ele.

Se eles criticaram é porque eu tô no caminho certo. A população apoia

Jonas Donizette (PSB), prefeito de Campinas

Já Mariana Conti (Psol) disse que a secretária de Educação, Solange Pellicer, disse num evento que não tinha conhecimento da adesão ao programa. “O que temos hoje é um processo de esvaziamento das escolas públicas”, disse ela.

O senhor não é dono da cidade e nem da educação. Essa proposta deve ser debatida”

Gustavo Petta, vereador

Contraponto

Jorge Schneider (PTB), vereador de direita, usou o microfone para lembrar que os pais não são obrigados a colocar os filhos na escola.

Tenente Santini também defendeu as escolas cívico-militares. “É para moralizar e ensinar disciplina e regra. A cidade de Campinas faz muito bem em aderir e desconstrução do modelo imposto pela esquerda”, disse ele, concordando pela primeira com o prefeito Jonas Donizette.

Outro lado 

Questionada sobre a intenção do presidente da Comissão de Educação de debater a proposta de instalação de escolas cívico-militares em Campinas, a Secretaria de Educação informou que “A Secretaria de Educação respeita a manifestação do vereador.”

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

17 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares é excelente sob todos os pontos de vista. Por ter decidido em razão do bom nível de ensino, isso torna a adesão do Prefeito inquestionável. Parabéns! Não vejo a hora de termos escolas cívico-militares em Campinas. E acredito que todos aqueles que se preocupam de verdade com a boa educação em nosso município também vão concordar. Lembrando que não vai ser como na Coreia do Norte, onde as crianças são obrigadas. E muito menos se faria aqui como se fez na Russia onde as aulas de história omitem deliberadamente os anos de terrível e assassina repressão na “Era Stalin”.

  • O custo das escolas militares é muito maior do que das escolas comuns. É daí que vem a melhor qualidade de ensino. Com maior investimento na escola pública tradicional seria possível obter os mesmos índices.

    Obviamente o investimento em escolas militares tem viés ideológico. Todos sabem que a filosofia militar é impositiva, não aceita questionamentos e censura os pensamentos diversos aos seus. As gerações que viveram sob a censura dos anos da ditadura são as gerações que hoje governam o país. Se militarismo representasse algo bom, o Brasil não estaria esta porcaria que está hoje, e que foi parida nos anos de ditadura.

  • Se existe a perspectiva de melhora, temos que esquecer as ideologias e avançarmos, sim. Chega de ver nosso ensino sendo desrespeitado pelos alunos,tem mesmo que endurecer para voltarmos a ser formadores de pessoas do bem. O Brasil que eu quero é formador de Patriotas.

  • so comunista e bandido tem medo de policia e exercito! melhor assim do que na escola publica rebolando e fumando maconha! abram os olhos aos vagabundos da sociedade que querem gente ignorante como massa de manobra!

  • Se ditadura e militarismo servissem para melhorar o caráter de um povo, a ditadura que massacrou o brasil ao longo de duas décadas não teria criado a geração de políticos corruptos que nos governou nas décadas recentes.
    Volto a dizer: o sucesso dos colégios militares se deve ao seu alto investimento. Sendo assim, pq não investir alto nos colégios públicos civis?
    Respondo: é pq a IDEOLOGIA deste governo é criar um povo que segue ordens e não questiona. E não há meio melhor para isso do que a militarização, já que um militar não questiona e segue ordens. É a única coisa que sabem fazer.

    • massacrou vagabundo.. quem trabalhava firme nao sofreu. a ideologia esquerdista eh tao lixo que 99% das pessoas que andam com camisetinha do guevara seriam mortas por ele se estivessem em cuba no periodo de revolucao! eh lixo

      • Zedopito, como todo conservador, acha q está acima do bem e do mal, acha que pode escolher que é o “vagabundo” que pode ser torturado e morto por um regime ditatorial. Obrigado por suas palavras, pois elas esclarecem muito bem o tipo de pensamento prepotente e assassino que há por trás da ideologia da direita.

    • Na época dos governos petistas as escolas militares já despontavam nas primeiras posições dos indicadores escolares, e é por óbvio que os governos petistas não eram, como ainda não são, simpatizantes desse método de ensino. Não preciso dizer que os investimentos desses governos também não era alto.
      Então sua informação caiu por terra.
      O que ocorre nesse tipo de escola é que professor é autoridade, é respeitado como se fosse o pai dos alunos. Muito ao contrário do que a esquerda gosta, que é dar “poder” aos alunos delinquentes e acabar com as chances daqueles que realmente querem aprender.
      Em escola militar existe fila de espera por uma vaga, isso porque o ensino é bom e TODAS as crianças estão lá para aprender.

  • É , bom mesmo é estudar nas ” escolas” do.MST e ouvir Stédile elogiar Lênin e Marx…..um assassino e um vagabundo , pela ordem.
    Então, tá !

  • Com certeza o Vereador Tourinho não prestou nosso serviço militar. Por que foi dispensado ou não?

    Os países comunistas se apoiam nas forças militares para se manterem, especialmente os ditatoriais. Por que ele não vai para Cuba? Boa viagem!

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

Marcos Andrade

Marcos Andrade

Marcos Andrade é formado em jornalismo pela Unesp e pós graduado em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais pelo Senac. Com passagens pelas rádios Band News FM e Bandeirantes de Campinas, é produtor do programa Bastidores do Poder da Band Campinas desde 2016.

Zezé de Lima

Zezé de Lima

Jornalista que começou no Diário do Povo, quando a sede era na César Bierrembach, e com histórias no Jornal de Domingo e Correio Popular. Na última década, já fiz de tudo na Band Campinas. Hoje posso fazer só o que gosto.

Mais Categorias