Administração municipal MEIO AMBIENTE

Plano prevê proteção de céu do Observatório Municipal Jean Nicolini

Rose Guglielminetti
Escrito por Rose Guglielminetti

O Plano de Manejo da APA (Area de Proteção Ambiental)  de Campinas vai ganhar um projeto de proteção estelar. A ideia é estabelecer uma série de restrições de uso para a área de entorno do Observatório Municipal Jean Nicolini – instalado no Pico das Cabras, no distrito de Joaquim Egídio. 

O chamado Observatório de Capricórnio é o principal ponto da cidade na observação de astros e estrelas e de pesquisas astronômicas, mas corre risco por conta do aumento da ocupação nas áreas de preservação ambiental.

Há mais ou menos três anos, eu fiz um levantamento e contabilizei 40 pontos de luz no entorno do observatório. Hoje já passam de 100”, diz o astrônomo, Júlio Lobo. Segundo ele, o excesso de iluminação pode afetar o potencial turístico da região proporcionado pelo observatório, além de prejudicar pesquisas científicas.

O projeto de proteção estelar – que está sendo apresentada pela Secretaria do Verde em audiências públicas – define o tipo de iluminação a ser permitida em extensões que vão de 300 metros a 10 km de distância do observatório.

O projeto vai proibir qualquer tipo de edificação ou iluminação nos terrenos inseridos num raio de 300 metros. e proíbe qualquer tipo de edificação ou iluminação nos terrenos inseridos nesta área.

A um quilômetro de raio, ficam proibidos sistemas de iluminação externa às edificações com altura superior a 2,5m, mesmo quando provido de anteparo de direcionamento para baixo. Proibirá, ainda, a permanência de veículos estacionados com faróis ligados.

Num raio de 2 km do Observatório ficam proibidos sistemas de iluminação externa com altura superior a 3m, mesmo com anteparo direcionado para baixo ou a instalação de torres de alta tensão, retransmissão ou caixas d’água com altura superior a 7m. Há, ainda, restrições para distâncias que vão de 5km e 10km.

Fiscalização

Júlio Lobo diz que além das normas, a prefeitura deverá estabelecer um sistema rigoroso de fiscalização. Diz ainda, que a proteção da área não será benéfica apenas para o observatório.

“Trata-se de uma região de fauna e flora riquíssimas”, diz ele, lembrando que a ocupação desordenada poderá afetar severamente o equilíbrio ambiental.

A APA-Campinas abrange uma área de 22.300 hectares e inclui os distritos de Sousas e Joaquim Egídio, além dos bairros Carlos Gomes, Chácaras Gargantilha e Jardim Monte Belo. Pelo plano, as áreas urbanas da APA vão poder receber empreendimentos imobiliários.

Sobre o autor

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.