JUSTIÇA

Polícia encerra inquérito da Chacina da Catedral

Rose Guglielminetti
Escrito por Rose Guglielminetti

A Polícia Civil decidiu encerrar o inquérito a respeito da chacina da Catedral – o episódio do dia 11 de dezembro do ano passado, em que Euler Fernando Grandolpho, matou cinco pessoas e se suicidou em seguida, após uma missa na Catedral Metropolitana de Campinas. 

O delegado Hamilton Caviola, que conduziu o processo, confirmou hoje (20/02), a tese que a polícia vinha defendendo já há algum tempo: a de que ele agiu sozinho, sem qualquer tipo de ajuda de terceiros. 

A Polícia Civil também concluiu que Grandolpho tinha graves transtornos psicológicos, como se suspeitava desde o início das apurações do caso. 

A investigação foi fechada, no entanto, sem que se tenha esclarecida a origem da arma. Com a numeração raspada, a pistola usada nos disparos, teria sido comprada no Paraguai, no mercado negro. 

O processo será agora encaminhado ao Ministério Público que, eventualmente,  poderá pedir novas diligências, mas o mais provável é que seja arquivado.

No dia 11 dezembro, Euler atirou aleatoriamente contra fiéis que tinham acabado de assistir à missa das 12h. Quatro pessoas foram mortas dentro da igreja e outras quatro ficaram feridas. A quinta vítima morreu no dia seguinte, naquela que é considerada a maior tragédia história centenária da Catedral Metropolitana. 

Foto/Maycon Soldan/FotoArena/Folhapress

Sobre o autor

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.