Início » Taxa de ocupação de UTI fica abaixo de 60% pela primeira vez na pandemia

Taxa de ocupação de UTI fica abaixo de 60% pela primeira vez na pandemia

Pela primeira vez desde que começou a pandemia do coronavírus, Campinas registra uma taxa de ocupação dos leitos de UTI exclusivos para pacientes covid-19 inferior a 60%. Dos 287 leitos nas redes pública e particular, 171 estão ocupados, o que corresponde a 59,58%. Há 116 leitos livres nas duas redes.

No SUS Municipal, que reúne os hospitais Ouro Verde e Mário Gatti, dos 131 leitos, 80 estão ocupados, o que equivale a 61,07%. Há 51 leitos livres.

Já no SUS Estadual, que tem o AME (Ambulatório Médico de Especialidades e o HC da Unicamp, são 27 leitos vagos. Dos 63 leitos, 36 estão com pacientes internados.

Na rede particular dos 93 leitos, 55 estão ocupados, o que equivale a 59,14%. Há 38 leitos livres.

Desde o início do mês, a Secretaria de Saúde já começou a fazer a transferência de leitos para uso de pacientes com outras doenças. O objetivo é chegar até o fim do mês com a oferta dos 90 leitos de UTI que a cidade tinha para internação de pacientes que não estejam com covid-19.

Rose Guglielminetti

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mais Categorias