Início » TJ anula julgamento que condenou ex-presidente da Sanasa por cabide de emprego

TJ anula julgamento que condenou ex-presidente da Sanasa por cabide de emprego

O julgamento que condenou o ex-presidente da Sanasa, Arly de Lara Romeo, por improbidade administrativa ao utilizar a empresa para contratar assessores, chamado de cabide de emprego pelo Ministério Público, foi anulado nesta terça-feira (27/07) pela 6ª Câmara de Direito Público do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo).

Os desembargadores Sidney Romano dos Reis, Alves Braga Júnior, Leme de Campos e a relatora Silvia Meirelles, consideraram que não houve a intimação dos advogados de defesa para o julgamento. Com isso, um novo julgamento deve ser marcado.

Em maio do ano passado, os desembargadores do próprio TJ-SP mantiveram a condenação de 1ª instância. Na época, foi determinada a demissão de 72 comissionados. Além disso, o ex-presidente da empresa municipal foi multado em dez vezes o valor da remuneração. Na época, ele recebia cerca de 41 mil por mês.

Para o MP, as nomeações dos assessores não seguiam critérios técnicos, mas indicações políticas.

Arly hoje é secretário de Habitação de Campinas.

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

3 comentários

  • Importante notar que o julgamento foi anulado por questões técnicas, e outro será marcado. Isso não significa que o Arly tenha sido inocentado.

  • O Arly e o Barreirão tem o mesmo chefinho (Real chefe)! Bem citado pelo “Cidadão Campineiro”, o Arly ainda pode ser condenado e por tabela também levar o seu chefinho.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.