Início » “Um risco absurdo”, diz vereador e médico sanitarista sobre flexibilização da quarentena em Campinas

“Um risco absurdo”, diz vereador e médico sanitarista sobre flexibilização da quarentena em Campinas

As regiões metropolitanas de Campinas e de São Paulo vêm enfrentando uma quantidade crescente de novos casos de COVID19 e de internações hospitalares pela doença nas últimas duas semanas. Nossos hospitais estão cheios. Nossas UTI’s quase lotadas. Continuamos com sérios problemas na testagem e muita subnotificação.

Mesmo com uma curva ascendente de novos casos em todo o estado, o governo do Estado de São Paulo anunciou hoje um plano de relaxamento da quarentena. Classificou as regiões do estado em diferentes níveis de vigilância, com a possibilidade da reabertura imediata de vários setores em Campinas, na capital e em outras regiões do estado.

A Organização Mundial da Saúde é clara na definição dos critérios que podem permitir e orientar comunidades em processos de reabertura pós quarentena:

  1. A transmissão da doença deve estar sob controle, com queda sustentada por um período razoável de tempo do número de novos casos.
  2. O sistema de saúde deve ser capaz de detectar, testar, isolar e tratar todos os casos e de rastrear todos os contatos de casos positivos.
  3. O risco em lugares vulneráveis, como instituições de longa permanência, deve ser minimizado.
  4. Escolas, ambientes de trabalho e outros serviços essenciais devem ter medidas preventivas bem estabelecidas.
  5. O risco de importação de novos casos deve estar sob controle.
  6. As comunidades devem estar plenamente educadas, engajadas e fortalecidas pra poderem viver um novo padrão de normalidade, com a adoção rigorosa de medidas de proteção.

Honestamente não vejo estas condições dadas. Considero um risco absurdo a reabertura, mesmo que parcial, de qualquer setor nesse momento. O sistema de saúde esta próximo aos seus limites e o razoável a ser feito hoje seria intensificar e fiscalizar rigorosamente a adesão ao isolamento, seguir fortalecendo nossa capacidade de testagem, rastreamento e ampliação de leitos. Ao mesmo tempo, medidas de apoio econômico e social deveriam ser muito melhor instituídas.

Mas ao que tudo indica não é isso que vai acontecer. Temo imensamente pelas nossas vidas nesse momento.

Pedro Tourinho é médico sanitarista, professor universitário, vereador e presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Campinas.

Rose Guglielminetti

Sou comentarista política da Band-Campinas. Também sou colunista do programa "Bastidores do Poder", que vai ao ar todos os dias das 13h20 às 14h, na Band Campinas. Entre tantas editorias a de Política é a das que mais me atrai. E isso fez com que me enveredasse por esse caminho ao longo de minha carreira. Como repórter de Política sempre busquei oferecer notícias de bastidores do poder. E é isso que irei procurar fazer neste blog.

3 comentários

  • Falou o político do PT que quer quebrar a economia do país, para a esquerda entrar. Vc como pseudo médico já verificou se fizeram os postulados de Koch, ou estão testando material genético das células? Japão não fez isolamento total e teve poucos números de mortos, porque governantes não trataram isso como palanque político.

  • Cara tudo pra vocês é partido politico, cara olha o currículo do pedro tourinho. o cara é medico, ai veem você um zé ruela que provavelmente não entende nada de medicina falar asneiras.

  • Comparar Brasil com Japão é o mesmo que comparar uma Ferrari com um Fusca. Japão é um país desenvolvido, Brasil está no nível mais baixo de desenvolvimento. Isso sem contar na consciência do povo. Lá eles já têm o costume de usar máscaras no dia a dia. Aqui só usarão se for obrigado sob risco de multa ou ser preso.
    Definitivamente, o problema do Brasil é o brasileiro.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.