Início » Vanderlei Macris vai presidir CPI do BNDES

Vanderlei Macris vai presidir CPI do BNDES

O deputado federal Vanderlei Macris (PSDB-SP) vai presidir a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do BNDES. Ele foi eleito na tarde desta quarta-feira. Segundo o deputado de Americana, a CPI pretender dar uma resposta à sociedade sobre questões que não foram esclarecidas até hoje.


“Estou muito confiante que vamos fazer um trabalho de colaboração e investigação bastante aprofundada e de forma transparente para que a sociedade possa ter informações do que de fato aconteceu e a punição dos envolvidos”.

Dep. Federal Vanderlei Macris (PSDB-SP)

Segundo Macris, a CPI pretende apurar possíveis irregularidades que foram mantidas durante os anos em que o PT ficou no poder: “Mesmo que esta Casa já tenha realizado apuração, é imprescindível se debruçar nos dados mantidos na conhecida ‘caixa preta’ do BNDES. A situação política então vigente impediu que abríssemos esses dados, mas aqui não cruzaremos os braços”, declarou o deputado quando protocolou o pedido de abertura da Comissão.

Também vão compor a CPI os deputados Paula Belmonte (PPS-DF), 1ª vice-presidente; Sanderson (PSL-RS), 2º vice-presidente; e Kim Kataguiri (DEM-SP), 3º vice-presidente. O relator será o deputado do Rio de Janeiro, Altineu Côrtes (PR).  A Comissão será composta por 34 membros titulares e 34 suplentes e tem prazo de 120 dias para realização do trabalho.

A próxima reunião da CPI será na terça-feira (2), quando o relator deve apresentar o plano de trabalho e serão deliberados os primeiros requerimentos. Macris vai pedir a “colaboração formal” da Polícia Federal, do Tribunal de Contas da União (TCU) e da Controladoria-Geral da União (CGU). Macris também deve requerer a documentação das CPIs que investigaram o banco de fomento na Câmara e no Senado nos anos anteriores.

Polêmica com o posto de combustível

Às vésperas da eleição da Presidência da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP), na qual o filho dele, o deputado estadual Cauê Macris (PSDB), disputava a reeleição para a Presidência da Casa, Vanderlei Macris foi alvo de uma denúncia publicada no jornal O Estado de São Paulo. De acordo com a publicação, a campanha do deputado federal repassou R$ 615 mil, 47% do que ele obteve de fundo eleitoral, em cheques para o posto de combustíveis que pertence ao presidente da ALESP, Cauê Macris.

Ainda de acordo com a denúncia, pai e filho repassaram R$ 881 mil reais ao posto. Na ocasião, Vanderlei Macris repetiu em nota a versão dada pelo filho, de que fez uso da empresa para “facilitar o pagamento dos cabos eleitorais” e que “utilizou de maneira totalmente transparente e legal o Posto União de Limeira para descontar cheques e garantir a agilidade do pagamento dos trabalhadores de campanha”. A assessoria de imprensa dos deputados ainda ressalta que não há nenhuma investigação aberta e que as contas foram aprovadas pela Justiça Eleitoral.

Avatar

Marcos Andrade

Marcos Andrade é formado em jornalismo pela Unesp e pós graduado em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais pelo Senac. Com passagens pelas rádios Band News FM e Bandeirantes de Campinas, é produtor do programa Bastidores do Poder da Band Campinas desde 2016.

1 comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mais Categorias